amor, Família, infância, por Vivian Wrona Vainzof, Receitas, relações afetivas

À luz da janela

A menina esticava a massa contra a janela procurando transparência. Ela sovava e suava, torcia e se contorcia tentando acertar. Espreguiçava a mistura sobre a pia, estirava o máximo que podia. Às vezes a massa rasgava de fina, antes de ficar transparente, e ela tinha que recomeçar. Era a avó quem enxergava além do que… Continuar lendo À luz da janela

Anúncios
Família, infância, por Vivian Wrona Vainzof, relações afetivas, viagem

De alma lavada na onda

Tinha chovido a noite toda e o dia amanheceu despido. O mar que dormiu verde escuro, acordou desbotado, escondeu a cara na areia. A brisa correu no chão de cimento polido, deixando o piso mais liso. Os atobás voavam em roda, pontilhando o céu, desviando da chuva e evitando o mar. As crianças de sangue… Continuar lendo De alma lavada na onda

Família, Felicidade, infância, maternidade, por Vivian Wrona Vainzof, relações afetivas

Feito Passarinho

Quando se tem filhos em casa, os anos são vendaval e os dias rastejam longos e medíocres. Quando vejo, os dentes de leite já derramaram, não encontro a chupeta nem as fraldas, e ainda estou impaciente para terminarem o jantar. Quando os machucados já não saram com beijo, quando já não preciso mais amarrar os… Continuar lendo Feito Passarinho

casamento, desafio, Felicidade, por Vivian Tempel Wroclawski, reflexão, relações afetivas, viagem

Em busca de equilíbrio

Eu estava tentando me entender com as marchas. Observando os outros, aquilo parecia tão natural quanto pedalar, mas, para principiantes, manter o equilíbrio pra não cair é o mais importante e minha atenção estava totalmente voltada a essa tarefa. Já não lembro se perdi a capacidade de fazer 12 coisas ao mesmo tempo depois de… Continuar lendo Em busca de equilíbrio

Família, Felicidade, Matutaí, por Vivian Wrona Vainzof, Receitas, relações afetivas

Um ano bom e doce, shaná tová!

Quando os doces começavam a brotar lá em casa, caixas e mais caixas de pães de mel, chocolates, marzipã, bolachinhas açucaradas, brigadeiros, biscoitos em forma de estrela, de favo, de abelha, bolos de maçã e muitas coisas de lamber os dedos e os beiços, eu já sabia que o ano novo estava chegando. A sensação… Continuar lendo Um ano bom e doce, shaná tová!

férias, leitura, livros, Matutaí, por Vivian Wrona Vainzof, relações afetivas

Por uma vida com prateleiras amarelas

Desde muito nova eu soube que era apaixonada pelo caos de São Paulo, por 6a feira depois do trabalho, por abraço de matar saudades, por olhar de cumplicidade. Algumas coisas simples que tiram a insignificância da vida. Tem dia que me dou o luxo de ir sozinha em cinema de rua pelo puro prazer frugal.… Continuar lendo Por uma vida com prateleiras amarelas